Nova Escola de Marketing

Redes Sociais: estar fora delas pode ser um péssimo negócio

Cursos de Marketing Digital

É muito difícil encontrar alguma pessoa que não tenha um perfil em redes sociais hoje em dia.

Só para você ter uma ideia, se o Facebook (a maior rede social do mundo) fosse um país, ele seria o mais populoso do mundo. A rede atingiu a marca de mais de 2 bilhões de usuários ativos. É maior que a população da China, dos EUA e do Brasil, juntas.

Ter um perfil em redes sociais é quase que um documento de identificação na internet. Inclusive, muitas plataformas digitais possibilitam a realização de cadastros usando o perfil de redes sociais.

As redes sociais são poderosas porque mexem com uma necessidade básica que todo ser humano tem: a de conversar e interagir com elas com outras pessoas.

Estar presente nas redes sociais já é praxe para qualquer negócio que busca escalabilidade para  aumentar seu faturamento.

A grandeza das redes sociais no mundo atual

Caso você ainda não esteja convencido de que estar presente nas redes sociais é fundamental para o sucesso do seu negócio em plena era pós digital, a Hootsuite revelou alguns dados surpreendentes na pesquisa We Are Social 2017.

  • Existem 2.789 bilhões de usuários ativos em redes sociais, abrangendo 37% de toda a população mundial

  • Desse número, 2.549 bilhões de usuários acessam as redes sociais via dispositivos mobile, correspondendo a 34% da população mundial.

E esse número tende a aumentar rapidamente, pois a taxa de crescimento anual do número de usuários de redes sociais no mundo é o dobro da própria internet. Enquanto as redes sociais crescem 21% ao ano, a taxa de crescimento da internet é de 10%.

O brasileiro ama as redes sociais.

Quando falamos do Brasil, as redes sociais fazem muito sucesso.

Somos a segunda população que mais gasta tempo com redes sociais, numa média de 03:43 horas por dia.

Segundo a mesma pesquisa da Hootsuite, 58% da população brasileira acessa redes sociais. Somos mais de 125 milhões de usuários ativos nessas plataformas.

E a taxa de crescimento anual de novos usuários no Brasil é de 18%, maior que a dos EUA (que é de 11%).

Somos a 3ª maior população usuária de Facebook, com 122 milhões de usuários. E, desse total, 66% acessam a plataforma diariamente.

No Instagram, somos a 2º maior população, com 50 milhões de usuários.

Nossa população gosta tanto de rede social que, numa pesquisa feita com brasileiros, 55% dos participantes disseram acreditar que o Facebook é a própria internet, que não existe nada além disso na web.

Todos esses números revelam o enorme potencial que as redes sociais proporcionam para qualquer negócio que se dedique a ocupar espaço nessas plataformas.

O que são as redes sociais e o que elas representam?

Na verdade, esse conceito não é uma coisa nova. O termo “redes sociais” já se fazia presente no campo da sociologia, denominando as estruturas de organização e interação de indivíduos em grupos e sociedades.

O que aconteceu é que este mesmo conceito migrou para o mundo digital. Hoje falar em redes sociais nos remete a sites ou aplicativos que tem uma estrutura formada a partir da conexão e interação entre pessoas, comunidades e empresas. E dentro dessa organização, esses agentes se manifestam e compartilham informações relacionadas com suas culturas, interesses, valores e objetivos.

Essas plataformas são como uma grande praça online onde os usuários são onipresentes e interagem entre si numa velocidade e intensidade impressionantes.

As redes sociais não foram os primeiros canais digitais que permitiram que pessoas comuns se expressassem na web. Mas com certeza elas deram muito mais poder de comunicação e hoje as pessoas usam esse privilégio praticamente o tempo todo.

Quando os blog surgiram, deram voz para pessoas comuns que não poderiam ter espaço em um outro canal midiático (televisão, rádio e jornais). Porém a dinâmica de troca de informações era mais voltada para o discurso.

Ou seja, o autor escrevia em seu blog o seu conteúdo para uma audiência, e essa, por sua vez, no máximo podia fazer algumas observações no campo de comentários.

E, além disso, o seu alcance dependia do acesso direto de cada usuário a partir da pesquisa de um determinado termo nos mecanismos de buscas que mostrasse aquele blog como resultado.

Para que uma pessoa completamente alheia ao blog o acesse, era necessário que alguma outra pessoa indicasse o conteúdo para ela.

Quando as redes sociais chegam no mundo digital, elas causam um verdadeiro big bang de interações: as pessoas estão o tempo todo colocando suas ideias e opiniões, ao mesmo tempo que vêem  e interagem com as de outras pessoas, e ainda disseminam informações de terceiros.

O impacto dessas plataformas foi tão grande que influenciaram também os blogs. Agora, quando um leitor é impactado por um determinado artigo, ele pode postá-lo no seu perfil pessoal para que a sua rede de amigos também veja. Inclusive, os botões de compartilhamento passaram a ser incorporados dentro dos próprios blogs para facilitar esse compartilhamento, alcançando muito mais audiência.

Aliás, nas redes sociais, essa passou a ser a palavra de ordem: compartilhar!

A aproximação dos usuários dessas redes sociais, não obstante à localização geográfica de cada um, dinamizou e facilitou a troca de opiniões e críticas pela web. Inclusive sobre suas más experiências com produtos e serviços prestados por empresas.

Nessa realidade, é inevitável que a sua empresa caia no boca a boca digital, queira você ou não. A sua empresa está exposta às redes sociais, mesmo que ela não tenha uma página ou um perfil em qualquer uma delas.

A questão é: você estará lá para fazer parte do que falam sobre a sua empresa, ou simplesmente vai deixar isso ao encargo de qualquer pessoa anônima?

A diferença entre Redes Sociais e Mídias Sociais

Você já deve ter ouvido muito esses dois termos. E é bem possível que tenha entendido que ambos querem dizer a mesma coisa. Mas existe um diferença conceitual entre eles.

Como já foi dito nesse artigo, o conceito de rede social não foi criado pela internet. Ele está mais ligado com o sentido de uma organização de conexões sociais entre pessoas que compartilham interesses em comum.

Por exemplo, um grupo de amigos que se reúne uma vez por semana para alugar uma quadra para jogar futebol, é uma rede social.

As mídias sociais são canais de comunicação que permitem transmitir informações para outras pessoas nos mais diversos formatos: vídeos, imagens, textos, slides, etc. Cumprem a mesma função que as mídias tradicionais, como rádio e televisão. Mas o diferencial é que elas são mais dinâmicas e são projetadas para que ocorram interações sociais.

Ou seja, as mídias sociais podem ser entendidas mais como as estruturas tecnológicas online que possibilitam o desenvolvimento de redes sociais.

As redes sociais, por sua vez, são a própria organização de conexões e interações entre pessoas, grupos e empresas, que trocam informação sobre interesses em comum. Elas são, na verdade, o seu ativo social, a abrangência da sua influência para gerar renda .

Fazendo uma analogia, pense agora numa agência bancária. Você pode guardar dinheiro lá, ou fazer investimentos. Mas mas a agência não é sua, apenas o dinheiro que você depositou ou investiu e os rendimentos resultantes disso.

As diferentes Categorias de Redes Sociais

Você iria de bermuda, camiseta e chinelo numa festa de casamento? Acredito que não. Você usaria esse tipo de roupa para outras ocasiões sociais, como num luau à beira mar com seus amigos.

O mesmo funciona para as diferentes redes sociais que existem hoje em dia. Cada qual tem a sua própria “linguagem digital”.

É importante entender que, em cada rede social, existe um comportamento específico dos seus usuários que influencia diretamente no formato dos conteúdos divulgados pela sua empresa, bem como nos objetivos pretendidos pela sua campanha.

Rede Social de Relacionamento

Pode-se dizer que toda rede social, por definição, depende de relacionamento entre seus usuários.

Entretanto, existem as que são focadas em conectar pessoas, grupos e empresas, e promover a interação entre esses agentes.

Esse é o caso do Facebook, a maior rede social do planeta. Outros exemplo notórios dessa categoria são o Twitter, o LinkedIn e o Instagram.

Um outro caso de destaque é o Tinder. Nessa rede social, o objetivo dos usuários é a busca de relacionamentos afetivos. Eles disponibilizam um perfil para que outros possam visualizar, e dar o match, que é a “curtida” dessa plataforma. A partir dessa interação, essas pessoas podem conversar melhor em privado sobre suas afinidades e até marcar encontros.

Rede Social de Entretenimento

Nessas, o objetivo principal é consumir conteúdo, e não necessariamente se relacionar.

Um grande exemplo dessa categoria é o Youtube, a maior plataforma de vídeos na internet. Ela já alcançou mais de 1,5 bilhões de usuários ativos por mês. Por dia, são consumidas 1 bilhão de horas em vídeos, no mundo todo. Hoje, o Youtube é o segundo maior buscador do mundo.

Outra rede social de entretenimento é o Pinterest. Nela, os usuários criam galerias de imagens que são organizadas por temas (tags), e podem criar álbuns a partir de imagens postadas por outros usuários, além de curti-las e comentá-las.

Rede Social Profissional

Nessas redes, o objetivo principal é criar relacionamentos profissionais. Nela é possível promover projetos, divulgar conhecimento e expertise, conseguir indicações, disponibilizar currículos e até criar autoridade num nicho de mercado.

Atualmente, a rede social profissional mais conhecida e utilizada é o LinkedIn.

Rede Social de Nicho

Esse categoria é focada em atingir públicos mais específicos a partir de um conjunto de interesses ou de áreas profissionais.

O DevianArt, por exemplo, é uma rede social onde designer gráficos podem divulgar e até vender suas artes.

O TripAdvisor é uma rede social voltada para o turismo, onde as pessoas podem indicar destinos de viagens, roteiros gastronômicos, hotéis e restaurantes.

A Goodreads é uma rede social para leitores de livros, onde os usuários podem fazer resenhas de e indicá-los a outras pessoas.

As inovações que as Redes Sociais trouxeram para o Marketing

Já vimos que o uso de redes sociais se tornou parte da rotina das pessoas pelo mundo inteiro. Não demorou muito para que isso chamasse a atenção das empresas que sempre buscam novas formas de fazer marketing para ampliar sua base de consumidores.

As redes sociais trouxeram muito mais inovações que apenas permitir pessoas do mundo inteiro estarem em contato o tempo todo.

Segmentação de público

Nas redes sociais, as pessoas estão o tempo todo declarando seus interesses e preferências, seja curtindo uma página, visitando sites específicos, compartilhando informações ou publicando posts.

Mas é claro que nada disso é de graça. Todas essas informações são parametrizadas em bancos de dados que formam verdadeiros catálogos dos mais variados perfis de consumidores.

E esses perfis não são padrões, engessados em poucas definições. É possível modelar diferentes perfis de consumidores a partir de uma lista de interesses específicos que tenham a ver com aquilo que sua empresa vai promover no mercado.

Por exemplo, digamos que você queira vender livros de receitas. Então você pode selecionar, na lista de interesses, páginas e sites de dicas de receitas, programas de culinária e outras coisas relacionadas. E assim sua comunicação poderá atingir diretamente pessoas que já se interessam pelo universo do qual o seu produto faz parte.

Agora, digamos que você queira vender um curso de culinária para pessoas que querem trabalhar no mercado gourmet. Então a lista de interesses já será diferente: além  dos interesses citados no exemplo anterior, você pode complementar com outros como páginas de empreendedorismo, revistas de negócios, etc.

Com esses recursos você pode criar uma infinidade de perfis de consumidor que você quer buscar como clientes para o seu negócio.

Nunca foi tão fácil estudar uma Persona

Um dos grandes desafios de todo negócio é ter um estudo de persona bem elaborado. Caso você ainda não tenha claro o que é isso, consulte esse artigo sobre Personas bem completo.

Como já abordamos aqui, as pessoas usam as redes sociais para expressar seus valores, suas opiniões, seus desejos, seus medos, suas dificuldades.

E se tem um algo em que uma pessoas não exita em fazer nas redes sociais é mostrar a sua insatisfação com algum produto ou serviço.

Isso configurou um gigantesco acervo de pesquisa e, com um bom trabalho de análise, é possível obter informações muito valiosas para a criação de novos produtos, assim como para a elaboração e direcionamento de campanhas de marketing certeiras.

Lembre-se: a maioria das pessoas gostam de falar de suas vidas, e se você souber “ouvir” nas redes sociais, será capaz de entrar a fundo na mente delas.

Nas redes sociais, você personaliza a sua comunicação de acordo com cada público

Quando uma marca anuncia no horário nobre da televisão, ela está falando para milhões de telespectadores. Porém, com uma mensagem padronizada para todos.

O problema é que nessa grande massa existe uma diversidade de grupos de pessoas, cada qual com um perfil diferente. E a mensagem que é entregue para o adolescente que pratica esportes radicais é a mesma para o senhor aposentado que gosta de jogar bocha.

Com todo esse potencial de segmentação possibilitado pelas redes sociais, você pode criar comunicações personalizadas para cada grupo de pessoas.

Dessa maneira é muito mais fácil se conectar com o público, o que gera mais envolvimento e aumenta as possibilidades de conquistar clientes.

Conquistar  o coração dos consumidores com a visão da empresa

Sabe aquela história de missão e valores da empresa? Geralmente esses pontos são tratados de uma maneira fria, quase como um mero protocolo, do qual os funcionários se veem obrigados a decorar.

Um dos traços mais marcantes que as redes sociais trouxeram para o público consumidor é que o ato de consumo passou a ser uma forma de afirmar seus próprios valores perante a sociedade. Hoje as pessoas não querem simplesmente comprar, elas querem fazer isso com um propósito maior.

Nas redes sociais a sua empresa pode atuar na divulgação da sua visão e seus valores, e com isso gerar uma percepção de valor da marca muito maior.

A transparência e honestidade são pedras fundamentais, pois as pessoas conseguem perceber quando elas são legítimas e quando são fingidas.

Um grande diferencial é conseguir se posicionar de forma clara em temas importantes que estejam conectados com aquilo em que a empresa acredita e defende.

Dessa forma, sua empresa não terá apenas consumidores, mas verdadeiros fãs e paladinos que vão levantar a sua bandeira e defender a sua marca.

Fazer propaganda nas redes sociais é mais barato

Sabe quanto custa anunciar na Rede Globo por 30 segundos? No mínimo R$ 20 mil. Em horários mais nobres, chega a custar mais de R$ 1 milhão.

Nas redes sociais, você pode fazer campanhas com um alcance enorme, por um mês inteiro, investindo o menor valor de uma propaganda nessa emissora de televisão.

E as campanhas de marketing nas redes sociais são muito mais eficientes, pois como já mencionamos, você pode entregar uma comunicação muito mais personalizada para públicos específicos.

Além disso, fazendo campanhas nas redes sociais, você pode mensurar os resultados obtidos com uma precisão impressionante. Você poderá saber qual foi o custo por venda, custo de aquisição de cada cliente, qual público é mais comprador, quais as propagandas que mais venderam, e mais uma grande variedade de métricas que não são possíveis em mídias de massa.

Nas redes sociais, além de gastar muito menos, você saberá qual foi o destino exato de cada centavo investido.

Interação em tempo real

Diferente dos veículos tradicionais de comunicação, onde você precisa aguardar os trâmites de aprovação para emitir uma nota ou uma chamada, nas redes sociais você pode emitir um comunicado a qualquer momento.

Esse timing é essencial para, por exemplo, gerenciar uma crise, passando comunicados sobre acontecimentos que impactaram o seu negócio de alguma forma.

Outra grande vantagem é de poder surfar na onda de eventos que acabaram de acontecer. Por exemplo, imagine que você saiba que no próximo domingo terá uma grande final de campeonato de futebol. Assim que o jogo terminar, você pode lançar até mesmo uma campanha para vender produtos do time vencedor.

A participação das empresas brasileiras nas redes sociais ainda é pequena.

Apesar de o Brasil ser um grande público usuário de redes sociais, essa realidade ainda não se consolidou no nosso cenário empresarial. Ainda temos muito o que amadurecer nesse mercado.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Cetic (Comitê Gestor da Internet no Brasil), apenas 36% das empresas participantes do estudo afirmaram ter uma conta ou página registrada em alguma rede social.

Quando considerada apenas as pequenas empresas, esse percentual é de apenas 33%. Já para as grandes empresas, o índice é de 50%.

Para termos uma comparação, podemos olhar para o que acontece nos EUA. O portal Emarketer.com revelou que, em 2017,  89% das empresas americanas com mais de 100 funcionários usavam as redes sociais como ferramenta para alcançar objetivos de marketing.

Aproveite o melhor das redes sociais para o marketing digital da sua empresa.

As redes sociais são ambientes digitais que fazem parte da vida das pessoas de tal forma que mal podemos lembrar como era a vida antes delas.

Para muitas pessoas, isso é literalmente impossível, pois já existe toda uma geração de profissionais no mercado que praticamente nasceram junto com elas.

O fato é que, se você quer que sua empresa tem alguma chance no mercado hoje em dia, é imprescindível que se determine como atuar e se posicionar nas redes sociais. Prova disso é a taxa de crescimento do número de usuários dessas redes, que são maiores que as da própria internet.

Mas não pense que basta criar um perfil, ou uma fan page, e sair fazendo postagens sem qualquer critério.

É necessário uma estratégia bem definida e articulada que consiga abordar as redes sociais mais importantes para o seu nicho, de maneira consistente.

Ao investir em marketing usando as mídias sociais, é preciso estruturar uma boa campanha, que seja eficiente na entrega da sua mensagem buscando o público mais adequado. Do contrário, você corre o risco de queimar o orçamento da sua empresa a toa.

Você pode precisar de ajuda para elaborar suas campanhas de marketing nas redes sociais. E nós estamos à disposição para te ajudar a dar esse rumo para sua empresa.

Cadastre-se na Nova Escola de Marketing e acompanhe os nossos cursos intensivos de Marketing Digital e Mídias Sociais!

Rafael Rez

Autor do livro "Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI". Possui MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2013. Fundador da consultoria de marketing digital Web Estratégica. Além de Empreendedor e Consultor, é Professor de Pós e MBA em diversas instituições de ponta. Em 2016 fundou a Nova Escola de Marketing.

Cursos de Marketing Digital

Opinar
















Patrocinadores

Web EstratégicaMonetizze

Apoiadores

SEMRushLeadLoversSambatechUnbounceHuggyDigital Manager Guru