Nova Escola de Marketing

7 erros que você está cometendo ao usar hashtags

Cursos de Marketing Digital

A moda de usar hashtags começou no Twitter, na intenção de disponibilizar um link de busca interno para tornar mais fácil para os usuários encontrar certos conteúdos e temas. Mas o uso online transformou as hashtags em um fenômeno cultural, pois elas passaram a ser utilizadas para se comunicar em qualquer rede social e até em conversas cotidianas. No Instagram, então, tomou quase vida própria.

Mesmo com a popularização total desse recurso, muitas marcas ainda não estão aplicando as hashtags com o potencial que poderiam. Apenas incluir uma hashtag em uma publicação não vai fazê-la funcionar.

Para potencializar esse uso, confira alguns erros mais comuns:

1) Hashtags muito longas e confusas

A finalidade de usar esse recurso é incentivar os usuários interessados no tópico a entrarem na conversa. Com apenas 140 caracteres, se as hahtags forem muito longas, os outros usuários do Twitter não terão muito para acrescenta. Isso vale também para retweets, se o texto for longo. Então, já que as hashtags ocupam espaço, use as formas mais curtas, mais objetivas. Frases e expressões podem ficar confusas, tome cuidado;

2) Você só usa as hashtags no Twitter

Como foi dito, as hashtags saíram do Twitter para ganhar as conversas das pessoas em todos os espaços. Mas elas somente são úteis para uma marca se as pessoas sabem que elas existem. Se a sua empresa está trabalhando em uma campanha pode usar uma hashtag específica em todos os canais para criar uma conexão em todos os materiais de marketing, mesmo que não seja “clicável”, só para identificar;

3) Você não pesquisou a hashtag para saber se as pessoas já estão usando

É preciso saber como a hashtag está sendo usada antes de pensar em qualquer ação com ela. Como as pessoas usam e o que está sendo dito nesse contexto. Além disso, se for uma hashtag comum é possível que já exista muita conversa em torno dela. Parece bom, à princípio, tentar entrar na onda e conseguir alguma popularidade. Pode até ser, mas é mais provável que já exista tanta conversa em torno daquela hashtag que a sua comunicação fique diluída demais, no meio de tanto fluxo;

4) Tentar usar hashtags muito populares

Usar uma hashtag que já é popular traz o risco de receber uma reação ruim do público que não valeria a pena a exposição. Já existem exemplos de marcas que não tiveram sucesso tentando pegar carona. Os usuários também sabem quando você está forçando a barra. Muitas vezes isso acontece porque o assunto pode estar em um contexto negativo e toda essa negatividade pode ser puxada para a marca. Na dúvida, não faça, pois pode piorar as coisas;

5) Você adiciona hashtags em tweets alheios

Retweetar outros usuários de forma automática com base na hashtag é considerado pelas diretrizes do Twitter como spam, resultando que o seu perfil seja filtrado nas pesquisas e até mesmo suspenso. Mesmo que não haja punição do Twitter, você provavelmente não vai fazer sucesso se as pessoas perceberem que não há intenção de interagir, só de retornos rápidos;

6) Você usa hashtags demais

Hashtags são feitas para que o seu público-alvo encontre mais facilmente as suas mensagens e possa participar. Uma ou duas são suficientes no Twitter. O Instagram pode ter um pouco mais, mas não chegue até as 30 permitidas para não perder o foco;

7) Você se esquece de pensar em como a hashtag pode ser usada de forma negativa

O Twitter pode ser um lugar sarcástico. Na verdade, os usuários do Twitter e da internet como um todo adoram uma zoeira. E você não quer ser a bola da vez! Por isso, é muito importante pesquisar antes de postar. Pense em como a hashtag poderia ser usada de forma negativa e estragar uma campanha. Uma vez publicada, a hashtag é utilizada na esfera online e algo pode não sair como o planejado.

Agora que você já viu alguns erros mais comuns, vamos comentar um caso que parecia que tinha tudo para dar errado, mas deu certo.

#tweetfromtheseat, da Charmim

Charmim é uma marca de papel higiênico que adotou uma hashtag cuja tradução é mais ou menos assim “tweet do vaso”. A intenção era aproveitar o inacreditável número de pessoas que usa as redes sociais enquanto está no banheiro. Uma pesquisa mostrou que 40% dos jovens adultos afirmaram fazer isso e essa foi só a porcentagem de pessoas que admitiu. E as pessoas se envolveram, de verdade! A ação foi vista com muito humor pelos usuários.

Confira dois exemplos:

 

Por que deu certo?

Para começar, a hashtag começava pedindo uma ação para os usuários, nesse caso, twittar enquanto estava no vaso sanitário, uma call to action muito exótica.

Segundo, foi divertido, irreverente e diferente. Charmim pretendia se envolver principalmente com o público jovem e conseguiu, tornando-se viral e humanizando a marca. Afinal, como promover um papel higiênico no Twitter? Com ousadia.

Por último, eles também promoveram um sorteio, dando ingressos do Super Bowl para seis seguidores que utilizaram a hashtag. Era fácil participar, muita gente participou. Mas as hashtags continuam até hoje.

Rafael Rez

Autor do livro "Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI". Possui MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2013. Fundador da consultoria de marketing digital Web Estratégica. Além de Empreendedor e Consultor, é Professor de Pós e MBA em diversas instituições de ponta. Em 2016 fundou a Nova Escola de Marketing.

Cursos de Marketing Digital

1 Opinião

  • Muito bom o artigo sobre hashtags, Rafael!

    Agradeço por compartilhar todo esse conhecimento.

    Sou editor de textos e fotógrafo no portalblog de rock cifranegra.com . Faço também a parte de divulgação nas mídias sociais. Uso geralmente umas 15 ou mais hashtags quando divulgo no Instagram.

    Vou rever minhas postagens e arrumar. Valeu!
















Patrocinadores

Web EstratégicaMonetizze

Apoiadores

SEMRushLeadLoversSambatechUnbounceHuggyDigital Manager Guru