Nova Escola de Marketing

Marketing de Conteúdo no LinkedIn

O SocialBakers divulgou que o Brasil é o terceiro país em número de usuários no LinkedIn, com mais de 17 milhões de inscritos. Os dois primeiros são Índia, com 26 milhões de inscritos e Estados Unidos, com 101 milhões de usuários.

O LinkedIn é muito mais segmentado e uma rede social voltada para negócios, com foco profissional, bem diferente das maiores, Facebook e Twitter. No Brasil, a cada três inscritos, dois tem diploma universitário e a cada quatro, um possui pós-graduação.

Linkedin2

Recentemente a rede fez uma mudança, colocando uma pontuação que mensura a efetividade das postagens de empresas.  É uma métrica calculada com base com base no total de membros únicos do site que se envolvem com posts patrocinados de empresas, páginas, grupos, publicações de funcionários. Esse número é dividido pela audiência total de usuários ativos que se desejaria alcançar. O resultado mostra quantas pessoas estão sendo de fato impactadas. É uma métrica que pode ser filtrada por região e tipo de indústria.

Ao disponibilizar a métrica, a rede também começou a oferecer orientações sobre como melhorar seu alcance e tendências de temas populares como sugestões para produção de conteúdo. O diretor de marketing da empresa, Alison Engel, declarou que a empresa caminha para um modelo “em que fornecer insights para os clientes é a principal estratégia”.

Essa posição do LinkedIn de querer que as empresas inscritas entrem em contato de uma forma cada vez melhor com seu público através de conteúdo difere um pouco das outras redes “de massa”.

O fato é que todas as empresas (de todos os segmentos, incluindo, por exemplo, grandes emissoras de TV) estão buscando divulgação através de mídias sociais. E no caso do LinkedIn, conseguir mais credibilidade e até fazer processos seletivos.

Atenção, a dica também vale para empresas pequenas!

Monte uma Business Page

Como empresa, a marca deve ter uma página oficial na rede e não ser um perfil – as Business Pages do LinkedIn, com todas as informações de endereço, site, contato. O banner, que estará em destaque na página, deve refletir a logomarca da empresa ou ser trocado conforme as campanhas. Essa parte é muito importante, pois fica em destaque para quem acessa a página e deve transmitir credibilidade.

Preencha o Resumo sobre a empresa. Assim como o banner, essa parte merece um cuidado especial. Nesse espaço é que ficam a missão, visão e valores da empresa, dando uma ideia para o mundo do objetivo enquanto empresa e do objetivo no LinkedIn. Um texto bem escrito, claro e agradável pode apresentar a empresa e deixar uma boa imagem para profissionais e candidatos.

Sobre o objetivo da empresa no LinkedIn. É possível ter uma página mais institucional, mostrando a empresa, características e aproveitando a rede para criar uma boa imagem, alinhada à campanhas e posicionamento da marca, com as ações de marketing como um todo, ou é possível aproveitar a característica da rede, de ser exatamente voltada para profissionais, em busca de oportunidades de carreira. Isso significa fazer conteúdo e imagem institucional com foco em carreiras, processos seletivos, atração de talentos, retenção de bons colaboradores.

Área de produtos e serviços: Oportunidade para divulgar produtos e serviços da empresa. Seja breve e agradável no texto, mostrando como o que você oferece ajuda pessoas/empresas.

O LinkedIn oferece a funcionalidade de criar abas para os produtos, para inserir banners, vídeos, apresentações do Slideshare e uma grande oportunidade: a de pedir depoimentos e recomendações dos clientes, transmitindo credibilidade para marca e produtos. A HP, por exemplo, tem mais de 3 mil mensagens.

Envolva funcionários

Engajar os funcionários na rede social é positivo para o relacionamento interno da empresa, além de mostrar para o público externo características da empresa.

Vale criar sim um manual de instrução para colaboradores com dicas para evitar deslizes em redes sociais – não só no LinkedIn – visando uma imagem positiva da empresa. É preciso entender, porém, que os perfis das pessoas são pessoais.

Quando os funcionários da empresa preenchem as informações de seus próprios perfis marcando a empresa como empregadora, não criam páginas não oficiais adicionais. Quando não existe uma página oficial, os funcionários marcam “como querem” e uma página não oficial é criada.

Pesquise, inclusive, se já não existem páginas como essas e até mesmo perfis que usam o nome da empresa como sobrenome.

 Processos seletivos pela rede social

Todo mundo que está no LinkedIn procura de certa forma uma colocação melhor, seja concorrendo a processos ou fazendo networking.

É possível inclusive fazer processos seletivos somente pela rede, isso depende da política que a empresa decidiu adotar para essa rede social.

Caso o objetivo seja fazer recrutamento, o LinkedIn oferece ferramentas corporativas pagas para ajudar nesse processo, considere o orçamento e se for possível, contrate. São feitas propostas sob demanda, então os valores são variáveis de acordo com a necessidade da empresa.

Existem recursos de pesquisa de candidatos, outros que permitem a divulgação de vagas personalizadas, abas com as oportunidades de carreiras e possibilidades de anúncio de vagas.

 Publique conteúdo – a parte mais importante e gratuita

O tema das publicações também varia com o objetivo da empresa, mais institucional ou sobre carreiras, e ainda a atração de novos negócios, principalmente no mercado B2B. As publicações podem inclusive auxiliar os funcionários da empresa em suas próprias vendas. Educação de mercado também entra. São muitas opções de conteúdo, defina uma linha, qual o território a ser marcado por sua empresa?

É possível adaptar o conteúdo de outras redes e utilizar publicações do blog corporativo, mas é importante saber que:

A rede possui um tom muito mais formal, informativo, que pede um engajamento mais selecionado e transmissão de conhecimento.

– Conteúdo original, produzido especificamente para aquela rede social, sempre é melhor.

A frequência das postagens não precisa ser a mesma do Facebook e Twitter, pode ser menor, já que muitos profissionais acessam a rede apenas uma vez por semana. Um post por dia está de bom tamanho.

Não deixe de visitar o canal do LinkedIn com as dicas de conteúdo, há apresentações do Slideshare e muitas orientações sobre como utilizar conteúdo, com estudos de caso, pesquisas, etc. um material rico, a sua disposição.

A rede disponibilizou até mesmo um guia para download com dicas de otimização de perfil, tendências, como anunciar, entre outras informações.

Anônimo

Rafael Rez

Autor do bestseller "Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI". Possui MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Fundador da consultoria de marketing digital Web Estratégica. Além de Empreendedor e Consultor, é Professor de Pós e MBA em diversas instituições de ponta: HSM, FGV, Insper, ESALQ/USP. Em 2016 fundou a Nova Escola de Marketing.

Deixar Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Patrocinadores

Web Estratégica

Apoiadores

SEMRushRD StationLeadLoversiSet E-CommerceiSet E-CommerceActiveCampaignReporteiSERPstat