Nova Escola de Marketing
tendencias de marketing

7 tendências de marketing para 2018

Cursos de Marketing Digital

À medida que a tecnologia continua a se expandir por meio de recursos interativos, as marcas poderão usar cada vez mais de experiências digitais para direcionar interações mais profundas e fornecer valor ao consumidor.

Além disso, as empresas terão que conectar todos os seus canais de venda, através de estratégias de Omnichannel, de forma a satisfazer a conveniência do seu público consumidor.

Abaixo, confira 6 tendências de marketing para 2018, sendo algumas delas projetadas pela Social Media Week através de sua plataforma de notícias:

1. Marcas 2.0

Os consumidores estão cada vez mais considerando fatores como missão, valores e sustentabilidade da marca em suas decisões de compra.  Com mais e mais consumidores pensando assim, as marcas continuarão a intensificar sua identidade em 2018, assumindo uma posição ética e transparente na sociedade. Não é sem razão que agências especializadas estão surgindo para ajudar as marcas a identificar e comunicar seu objetivo.

  1. Consumo colaborativo

O consumo colaborativo vem se expandindo desde 2017 e deve continuar esse ano. Um dos exemplos é o crescimento contínuo de grandes players como Uber.

O compartilhamento de produtos e serviços tornou-se comum para os consumidores, o que significa que as marcas que vendem produtos de forma permanente precisam trabalhar ainda mais para gerar compras.

Em 2018, a construção de uma marca que represente algo além de produtos próprios se tornará um diferencial fundamental para empresas que buscam testar o modelo de consumo colaborativo.

  1. Influenciadores digitais

O marketing dos influenciadores digitais tornou-se uma tática comprovada para aumentar a conscientização e influenciar comunidades específicas e categorias de nicho.

O espaço de “Youtubers” tem crescido muito ao longo dos últimos anos e agora está lotado de influenciadores.

Até agora, as marcas estão bem conscientes do poder desta tática, mas o desafio em 2018 será como determinar os parceiros, agências e criadores de tecnologia adequados para impulsionar suas campanhas.

  1. Aplicativos de mensagens

Os aplicativos de mensagens cresceram demais em 2017 e já não são uma ferramenta usada exclusivamente para atendimento ao cliente e suporte. Eles serão uma importante porta de entrada para o comércio em 2018.

Plataformas como iMessage (Apple), Facebook, WhatsApp, Snapchat e outras irão aprofundar suas integrações com varejistas e serviços de comércio eletrônico, criando novas experiências de compra.

De acordo com a pesquisa Connected Shoppers, da Salesforce, feita com mais de nove mil pessoas, os consumidores querem interagir com seus celulares na loja para fins de consumo.

No entanto, para 55% dos consumidores entrevistados, as experiências são desconectadas de canal para canal e 63% afirmam que as empresas não conhece verdadeiramente seus clientes.

5. Marketing de conteúdo Os desafios do marketing de conteúdo estimularão a necessidade de esforços mais estratégicos e criativos.  Em 2018, as marcas precisarão pesquisar e identificar os tipos de conteúdo que direcionarão para o envolvimento de seus públicos. Originalidade é uma tendência, uma vez que o público espera um conteúdo inovador. Esse ano será o momento de se concentrar mais no cliente, no que ele realmente necessita e entregar esse conteúdo da melhor forma possível.

  1. Personalização

A tecnologia torna possível que as pessoas acessem instantaneamente o público de maneira nunca antes possível.

Também criou uma cultura de narcisistas através de filtros que alteram nossa aparência e a acessibilidade à fama instantânea.

A personalização tem sido importante para as marcas, que hoje podem oferecer experiências valiosas aos consumidores com base em estudos sociais.

A tendência para a venda mais personalizada continuará inevitavelmente em 2018, mas não sem uma busca necessária por parte de consumidores, marcas e plataformas.

De acordo com pesquisas, 80% dos brasileiros gostariam de receber recomendações de compras personalizadas. Enquanto que 75% estão dispostos a compartilhar seus dados em troca de experiências mais rápidas nas lojas.

Conceito de Omnichannel

O omnichannel permite que a empresa conheça a preferência e comportamento de seus consumidores, além de melhorar sua relação com eles.

A experiência do cliente é sempre prioridade na melhoria de uma estratégia Omnichannel.

Este ano, espera-se que a experiência personalizada do cliente seja uma norma. Para prosperar no mercado de varejo competitivo de hoje, as empresas devem fornecer aos seus clientes a experiência mais conveniente.

Além disso, dominar a experiência da Omnichannel significa que as marcas têm a capacidade de criar uma experiência pessoal em todos os canais integrados.

Elas podem fornecer a um cliente as mesmas ofertas em cada ponto de contato. Pode ser na loja virtual, no aplicativo de mensagens, e-mail, lojas nas redes sociais ou físicas.

Hoje existe uma necessidade de plataformas e dispositivos para operar todos os canais em um alto nível de integração.

Em 2018 é esperada uma nova era de extrema conveniência e o mais alto nível de integração em todos os canais.

As plataformas de Omnichannel ajudam a otimizar cada passo na experiência do cliente, incluindo como um cliente encontra um item, como ele compra e recebe o envio, e como são fornecidos o serviço de pós-venda.

Este é um momento maravilhoso para o varejo. 2017 foi o ano da descoberta digital. 2018 será o ano da tecnologia e mais integração da mesma no varejo convencional.

Nesse cenário, o Omnichannel é a chave para o sucesso do varejo e uma ferramenta adequada desse modelo de negócios será uma obrigação. Isso ajudará os varejistas a avaliar seus desempenhos e a fazer melhores investimentos.

Pode não haver uma estrutura para ajudar todas as empresas a medir o seu varejo Omnichannel. No entanto, existem alguns critérios simples que podem ser levados em conta, que são: engajamento, conversão e fidelidade.

Além disso, as marcas podem construir seu próprio monitoramento para avaliar a eficácia da sua estratégia.

De qualquer maneira, uma personalização de canais cruzados será a chave para o sucesso em 2018.

Até 2020, 80% das interações do consumidor terão lugar sem um ser humano, segundo projeções. É difícil ignorar a velocidade com que a tecnologia e a inteligência artificial penetraram em quase todas as indústrias.

Esse ano, o debate gira sobre o papel dos seres humanos em um futuro cada vez mais automatizado. Essa questão será um ponto focal para as marcas.

Rafael Rez

Autor do livro "Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI". Possui MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2013. Fundador da consultoria de marketing digital Web Estratégica. Além de Empreendedor e Consultor, é Professor de Pós e MBA em diversas instituições de ponta. Em 2016 fundou a Nova Escola de Marketing.

Cursos de Marketing Digital

Opinar
















Patrocinadores

Web EstratégicaMonetizze

Apoiadores

SEMRushLeadLoversSambatechUnbounceHuggyDigital Manager Guru